SOBRE NÓS

O ACMM é o Arquivo histórico da Arquidiocese de Maceió. Como instituição de guarda documental preserva e disponibiliza para consulta as fontes históricas eclesiásticas produzidas pela Arquidiocese de Maceió.

LOCALIZAÇÃO

(82) 3223-8107

Av. Dom Antônio Brandão, nº 559

Farol, Maceió, Alagoas, Brasil

Caixa Postal 91, cep: 57051-190

 

arquivodacuriamaceio@gmail.com

CONECTE-SE
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon

© 2019 por Arquivo da Cúria Metropolitana de Maceió

QUEM SOMOS

O Arquivo da Cúria Metropolitana de Maceió foi organizado em 1939. Diretamente subordinado à Mitra Arquidiocesana, em conformidade com o Cânone 491, § 2, tem como finalidade guardar, preservar e difundir a documentação histórica produzida pela Igreja Católica em Alagoas.

NOSSA MISSÃO

O passado é o que não passou. É o que ficou em nós do que passou, e tudo aquilo que se passou se torna presente nos documentos deste arquivo. Por isso, é importante considerar que tudo o que se faz presente nos documentos deste arquivo é uma expressão bem-acabada do rosto histórico e criativo desta comunidade cristã que, há muito, se estabeleceu nestas terras alagoanas.


Sobretudo, quando comemoramos o bicentenário da Emancipação Política de Alagoas e damos início às comemorações do centenário de nossa Arquidiocese, a catalogação e a salvaguarda de nossa memória parecem ganhar novas cores, fazendo-nos melhor compreender tudo o que aqueles que nos precederam realizaram, os caminhos que percorreram na árdua tarefa da evangelização. De fato, enquanto expressão da memória histórica, os documentos do arquivo de nossa cúria permitem-nos redescobrir um caminho de fé através das obras de diversas gerações.

 

Nesse contexto, a Igreja considera importante a catalogação e a conservação dos documentos de nossa Cúria Metropolitana. Merece o nosso respeito este minucioso trabalho de grande relevância para nós que fazemos parte dessa história de fé. Estes documentos que são a memória sensível da evangelização tornam-se como que um instrumento pastoral. Daí “o empenho de os restaurar, conservar, catalogar e defender, a fim de obter uma valorização, que favoreça o seu melhor conhecimento e uma utilização adequada” (São João Paulo II, A função pastoral dos arquivos eclesiásticos).


Para o bem da verdade, ao longo da sua história bimilenar, “a Igreja foi prodigiosa em multiplicar iniciativas pastorais, adaptando-as à própria essência das culturas com a única intenção de proclamar o Evangelho” (São João Paulo II). A memória dessas obras, portanto, confirma o incansável esforço daqueles que creem, a fim de criar uma cultura de inspiração cristã e de promover plenamente a pessoa humana como premissa indispensável para sua evangelização. Destarte, o futuro promissor de um povo se dá mediante o respeito de quem sabe guardar a história, porque, a partir dela, caminhamos com quem nos precedeu e podemos compreender melhor o que agora vivemos.


Diante disso – e não poderia mesmo ser de outro modo –, para os homens e mulheres da Igreja, o Arquivo da Cúria Metropolitana é lugar da memória da comunidade cristã e chave de compreensão dos mais diversos aspectos culturais que podem nos ajudar no desafio de uma nova evangelização. Ele é, portanto, um bem cultural de importância primordial, cuja peculiaridade é – simplesmente – registrar o caminho da Igreja. Os arquivos de nossa cúria, “preservando a documentação genuína e espontânea que nasce em relação a pessoas e eventos, cultivam a memória da vida da Igreja e manifestam o sentido da Tradição” (São João Paulo II).


Assim como o Papa Paulo VI, também nós estamos convencidos de que a catalogação e a salvaguarda de nossa memória histórica é uma necessidade que parte do mais profundo do nosso ser católico, “o qual possui uma tradição, que é coerente, no decorrer dos séculos, com o desígnio de seu Divino Fundador”. Porque é, afinal, o próprio Cristo quem age no tempo e quem escreve, Ele mesmo, a história, para que tudo o que fazemos e realizamos em Seu nome seja um eco no mundo e um vestígio na Igreja de sua passagem no meio dos homens.


Por tudo isso, agradecemos imensamente aos fiéis colaboradores e a todos os profissionais que têm ajudado de maneira importante na realização desta tarefa, somando forças, para que, na medida do possível, possamos garantir a guarda de nossa memória. Neste momento, recordamos ainda o importante papel desempenhado por Dom Otávio Barbosa Aguiar, incansável organizador do nosso arquivo, e por tantos outros que por aqui passaram.


A todos, o muito obrigado de nossa Igreja Particular de Maceió!

por Dom Antônio Muniz Fernandes, O. Carm.
Arcebispo Metropolitano de Maceió

In Prefácio à Primeira Edição do Guia Geral do Arquivo

da Cúria Metropolitana de Maceió. Maceió: Imprensa Oficial, 2018.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now